bio bio
disco disco
noticias noticias
entrevistas entrevistas
projetos projetos
poemas poemas
fotos fotos
downloads downloads
brasao brasao
contato contato
Entrevistas
Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei. Al i 40

VOLTAR

Entrevista poeticus severus

1. Primeiramente gostaria de agradecer e dizer que é uma grande honra termos vocês em nosso artefato. Gostaria que você comentasse sobre o inicio da horda, as dificuldades durante todo esse tempo que a horda esta no cenário e as conquistas presentes do Poeticus Severus?

Saudações Chakal e a todas as pessoas que neste momento estão lendo nossas palavras. O Poeticus Severus teve inicio pela iniciativa de Cesar Severus, que gravou uma demo - tape muito interessante, chamada discórdia é a lei dos fracos- injvrivs veride. Ao gravar e divulgar este trabalho, foi dado um passo maior ao tentar reunir membros que fossem capazes de executar e se sintonizar com suas idéias e aspirações. Assim nessa ordem ele aproximou naturalmente M. Amasarak, Sub Umbra (eu) e Gemmifer e esta formação permanece inalterada por oito anos. Nesse período foram criadas mais de três dezenas de musicas e várias apresentações com intuito de envolver o publico com a nossa proposta. Todos os detalhes podem ser conferidos em nosso site: www.poeticusseverus.com . Atualmente estamos na metade do processo de gravação do nosso primeiro trabalho. Sobre as dificuldades, bem, nem sempre tocamos em lugares em que as condições eram favoráveis para nossa apresentação e nem sempre encontramos um lugar para gravar nossas musicas que fosse perfeito, mas isso já foi superado. As principais dificuldades foram vencidas por nós, pois estudamos e hoje dominamos todo o processo de produção de um CD, e considero isso uma posição confortável para fazermos com clareza um CD da maneira que desejamos.

2. Conte-nos como esta sendo a aceitação da horda ao publico brasileiro?

Nossa irmandade possui um publico que se corresponde com nosso trabalho e temos neles uma identificação que é mantida ao longo de anos. Ao lado temos grandes amigos que possuem bandas e irmandades e temos bastante respeito, reconhecimento e reciprocidade de sentimentos. Fora disso, sinceramente não nos importamos muito se estamos sendo bem aceitos e compreendidos, pois agradar quatro é difícil. Agradar amigos também. Se preocupar em agradar uma cena, é de longe nossa maior preocupação. Mas em geral, tudo que produzimos é esgotado.

3. Como você avalia a cena brasileira em relação a shows, bandas, zines e etc.?

Não é nada otimista em relação a shows. Infelizmente compreendemos as limitações das pessoas sérias em organizar e tentar montar um evento, mas nem sempre é vantajoso para a banda tocar e se apresentar, no caso do Poeticus é mais difícil ainda, pois levamos um grande aparato para caracterizar nossas apresentações. Com toda a crise econômica que este país está passando, há uma enorme lacuna aberta para nos apresentarmos em um lugar descente. Atualmente, a única forma de nos apresentarmos no Rio de Janeiro é trabalhar em esquema de sociedade entre bandas, pois simplesmente não temos um lugar digno para nos apresentarmos, e que este lugar seja viável para alugar e para colocarmos um equipamento de som que esteja à altura de nossa música. Eu posso até estar parecendo arrogante, principalmente para quem está começando agora no underground. “quem esse cara pensa que é? Esse cara é arrogante!” Mas a grande verdade é que as pessoas amadurecem e param de se submeter a esquemas ingratos, pois o amadurecimento trás seriedade. E quem está começando a tocar não impõe certas condições, às vezes não tem um trabalho digno para cobrar de um organizador um microfone, um PA e uma mesa em que todos os canais estejam funcionando, uma bateria com estantes suficiente. Pedestais para microfone das vozes. Um cubo de baixo honesto e um amplificador que não esteja saturado. Temos oito anos de banda, tenho 13 anos de underground ativo. O Rio de Janeiro, cheio de bandas boas e com grandes músicos, não consegue ter um show que valha à pena para eu sair de casa. Em relação às bandas, não sei o que tem de novidade, pois não tenho acompanhado muito, mas sabemos das que permanecem lutando e que prestam suporte mútuo. A cena de Minas, São Paulo, A do Sul, enfim, as mesmas pessoas que permanecem lutando e não desvirtuam seus valores e atitudes. Zines, eu confesso e falo por todos na banda, preferíamos os impressos. Mas temos grandes portais na web que fazem o trabalho de um editor mais dinâmico e menos onerado. A palavra é repassada, atinge seu objetivo com louvor, mas não é a mesma coisa infelizmente.

4. Com o passar dos anos vimos algumas mudanças no line-up da horda, hoje em dia a formação já esta estabilizada?

Inicialmente a mudança de formação ocorrida se deu apenas para acrescentar novos membros. A nossa formação sempre foi estável em todos esses oito anos de banda. O que acredito que possa ter ocorrido e confundido as pessoas foi o material muito antigo que circulou durante a divulgação da demo, em que a banda era composta apenas por Cesar Severus. Como este material ainda pode estar circulando, ainda cabe este tipo de confusão. Mas a formação permanece inalterada até o momento.

5. No dia 15/01/00 vocês tocaram com o Hecate e o Govanon em Fortaleza CE, os comentários sobre essa celebração negra foram os melhores, quais as possibilidades da horda promover uma turnê nordestina em um futuro próximo?

Realmente este show foi permeado de grandes momentos. Momentos inesquecíveis. A oportunidade de tocar tão longe e conhecer pessoas tão especiais foi inigualável. Respeitamos muito essas duas bandas e temos uma grande afinidade e apreço pelo trabalho e pelas pessoas que fazem parte do Hecate. A energia passada de volta pelo público, principalmente quando as pessoas enfrentaram a chuva para apreciar nossa apresentação nos fez tocar até que os equipamentos queimassem embaixo d'água. Ficamos ligeiramente frustrados, pois tínhamos ainda muitas musicas para mostrar para o publico e não conseguimos. Foi um momento especial que vou levar para o caixão a sensação única de respeito e admiração e te juro, tentamos e tentaremos de coração retribuir a aura que pairou naquele evento. Falo por todos na nossa irmandade. Sobre uma turnê no nordeste, dependemos de alguma proposta séria para que possamos nos organizar para tal. O público Nordestino é muito receptivo à cerimônias e respeitamos isso. Faremos as mais inspiradas com certeza.

6. Dentro do cenário brasileiro e ate mundial notamos que o Poeticus Severus se destaca por tocar um estilo único, quais as influencias que levaram vocês a tocarem esse estilo e existe outras bandas que executam esse estilo no Brasil ou fora?

Agradecemos seu reconhecimento, pois nossa proposta é realmente fazer algo diferente sem ser forçado. Somos o Poeticus Severus no palco e levamos esse estilo de vida muito à sério. A união de nossas personalidades resultou nessa diferença, e dela que nos guiamos para continuar compondo e tocando. No Brasil e no mundo não conhecemos nada parecido até agora e a cada ano que passa temos mais certeza de que a nossa proposta é honesta e fiel à nossas expectativas.

7. Durante todo esse tempo de glorias da horda, é uma pena que tenham lançado apenas dois materiais a demo “Discórdia é a Lei dos Fracos” e a coletânea “SOUTHERN WARRIORS CULT #1”, vocês tem planos para lançar outro material este ano ou em 2006?

Este tempo foi muito precioso e é um sinal de respeito ao nosso trabalho. Não temos como lançar algo no Brasil, nas atuais condições impostas, pois não concordamos. Passamos por um longo processo de aprendizado e hoje temos a segurança de dominar todos os processos de criação e produção para que pudéssemos lançar algo independente e completamente alinhado com nossos interesses. Atualmente temos mais de 35 músicas para administrar agora com toda essa experiência adquirida. Temos planos para lançar o nosso primeiro álbum pelo selo independente Nightwing Rec. Contando com a distribuição nacional e ajuda e interesse de todos nós seremos capazes de lançar mais dois álbuns nesse mesmo esquema. Estamos na metade da gravação das musicas e em 2006 (e.v.) lançaremos o nosso tão esperado debut. Sugiro a todos que acompanhem nossos progressos pelo nosso website www.poeticusseverus.com e em nossa comunidade no orkut: www.orkut.com/Community.aspx?cmm=3932073

8. Diga o que as letras da horda expressam, quais os sentimentos que estão colocados em suas canções?

Poesia mágico-filosófica. Para ser ultra-sintético e objetivo. O sentimento principal elevado acima de todos é a liberdade. A transcendência para uma realidade diferente e enobrecida também faz parte de nossas palavras. O resto depende de vocês, pois a interpretação é livre e está dado o convite a todos os que leram nossas palavras que as interprete com total liberdade.

9. Fale-nos sobre os projetos paralelos de cada integrante da horda, bandas zines e outros projetos futuros?

Atualmente Cesar Severus e Gemmifer tocam em um projeto de nome Hiereus. A orientação sonora deste projeto é bem diferente do Poeticus Severus. Não há previsão por enquanto para qualquer outro tipo de projeto diferente deste.

10. Fale-nos sobre uma coisa interessante na horda poeticus severus, que é a constante mudança de logos, que particularmente acho todos bem trabalhados, diga-nos a historia de cada logo?

Interessante pergunta. Friamente falando, a mudança de cada logo caracteriza a evolução de Cesar Severus como arte-finalista. Os logos mudaram de acordo com sua evolução e com nossa maturidade. Atualmente acho difícil que este logo mude, pois gosto muito de seu aspecto e todos em nossa irmandade gostamos. O mais interessante é que a cada mudança de logo mantivemos grande parte da simbologia que nos identificamos em cada época. Atualmente ele está no estado da arte. Se mexer alguma coisa piora, chega um momento em que não se mexe mais. O primeiro logo foi uma formalidade, pois ele reflete a vontade de Cesar em criar um trabalho conceitual, como se fosse uma capa de um livro. Depois, queríamos mostrar o nosso ódio, nossos sentimentos negros. Então fizemos um logo ultra carregado para chocar. Após este objetivo por nós experimentados, sentimos a necessidade de criar algo mais sóbrio e que carregasse todo nosso simbolismo e que fosse de fácil leitura. Retornamos ao conceito de livro e queremos exaltar com esse logo nossas raízes no Heavy Metal, que traz sempre logos limpos, por exemplo.

11. Mais uma vez gostaria de agradecer a você César Severus e a horda Poeticus Severus, se quiser acrescentar algo o espaço é todo seu. (Chakal Butcher666 ).

Enfim, gostaria de agradecer ao espaço e atenção direcionada por você, Chakal. Gostaria de contar com a colaboração de todos que nos conhecem para comprar nosso CD, pois será lançado de forma independente. Necessitamos de recursos para gravarmos os próximos trabalhos e caso não haja essa rotação pela parte de vocês as coisas serão mais difíceis. Ao baixar nossa musica pelo site, certifique-se de que ela agrade e adquira nossa obra, pois ela está sendo elaborada de forma cuidadosa, em respeito a todos vocês.

Timmor Domini Fons Calamitatis.

Sub Umbra

Amor é a lei, amor sob vontade. Al i 57

Valid XHTML 1.0 Strict © Poeticus Severus - 2004/2012 e.v. por Cesar Severus portifólio