bio bio
disco disco
noticias noticias
entrevistas entrevistas
projetos projetos
poemas poemas
fotos fotos
downloads downloads
brasao brasao
contato contato
Entrevistas
Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei. Al i 40

VOLTAR

ENTREVISTA FEITA AO POETICUS SEVERUS PELO POR CLEILSON A. MARIANO PARA O "IRON AVANTGARD MAGAZINE" EM JUNHO DE 2002 E.V., QUEM RESPONDE É CESAR SEVERUS E SUB UMBRA.

  • Saudações Cesar! Bem vindo ao Front...
    O Poeticus Severus tornou-se uma das mais prestigiadas bandas da cena-extrema nacional após o lançamento de sua primeira DT “Discórdia é a Lei dos Fracos... Injurius Veride”, um trabalho sem dúvida autêntico. Após a junção de outros membros um maior amadurecimento musical, a banda participa da coletânea “Southern Warriors Cult vol.1” com duas magníficas faixas, e desde então, segue em preparativos para o lançamento de seu Debut CD. Como você avalia o atual momento do Poeticus Severus? O que você pode nos dizer acerca das novas composições. Existe algo já concretizado para o lançamento de um “Full-lenght álbum”?

I – Cesar Severus: A priori, Saúdo você e a todos os apreciadores da Arte Extrema Mundial e Eterna!!! O Poeticus Severus se encontra em um momento de grande batalha, estamos revisando todo o trabalho já feito até agora no objetivo de mais qualidade, profissionalismo e de um número maior de registros fonográficos. Atualmente temos ao todo um repertório próprio de quarenta e duas composições, isto inclui composições novas e antigas, e é por isso que temos uma necessidade bem maior de fazer novos registros, sendo assim, já entramos em estúdio e estamos gravando o CD “Engolfo-te! ...Ó Minha Bela, e resplandeço meu Horizonte”. Este álbum mostrará o porque que nossa Saga é “Triunfal e Sinfônica...”; portanto, é aguardar e conferir!

  • O Poeticus Severus possui um estilo único de música denominada pela própria banda como “Opereto Barbaricus Metal”, algo realmente grandioso, dramático, imponente, e sobretudo original. Acredito que você seja a pessoa adequada para expressar-nos sua visão acerca desse estilo inovador... Nas novas composições da banda esse estilo será trilhado? Você acrescentará algum artifício a mais nelas?

II – C.S.: A maneira de compormos, de tocarmos, é baseada principalmente na Arte e na Ciência Hermética, musicamos a partir da essência das nossas vontades, a partir do quente, do frio, do úmido e do seco, enfim, de tudo aquilo que desperta as mesmas. Pois bem, nosso “Opereto” quer dizer “Ópera Pequena”. Arte menor, não pelas dimensões nem pelas nossas habilidades senão pelo modo mais simples e direto (por meio do Instinto) de interpretarmos o nosso Dom Primal, visto que, nós encaramos as coisas mais profundas, verdadeiras, sendo como às mais simples possíveis. Que fique claro, o Instinto do Poeticus Severus é espiritualizado, portanto não há gestos sem pensamento, palavras sem sentido em nossa “Arte Musicada” . O nosso “Barbaricus” é todo um tema de símbolos que utilizamos para transmitir nosso Intento a todo Universo. Quanto à definição “Metal” relativo a música, já se define por si só. Mas na verdade que cada um interprete nosso “Opereto Barbaricus Metal” da forma que entender melhor, cada pessoa é um centro de universo, possuindo assim uma visão diferente das outras. Tenho que falar uma coisa para aqueles que acham que tocamos “Viking Metal”, vocês são parecidos com os “daltônicos” (sem nenhuma ofensa), não conseguem distinguir muito bem o que é Norte e o que é Sul!Quanto às novas composições podem ter certeza de que este estilo continuará, e acrescentaremos muito mais tercetos (muitas das vezes em melisma), capellas, cavalgamento e etc. Sempre Marcial!!!

  • De onde a banda busca inspirações para criar essa atmosfera épica tão fascinante? Você é ligado a Filosofia e Literatura em geral? Se positivo, de que forma isso contribui para a idealização de suas letras e de suas músicas?

III – C.S.: Costumo ler de tudo que me interessa. E o que realmente contribui para a idealização de minha arte é tudo aquilo que tem valor aplicável para mim. Sobretudo, não só eu como todos os membros da banda nos baseamos diretamente de nossas próprias experiências para compor. Quando eu era pequenino fiz coleção de “A Espada Selvagem de Conan O Bárbaro”, e sempre senti a necessidade de dar continuação a cada episódio que eu lia e onde só a minha imaginação alcançava, fiz minhas próprias histórias... Com o tempo todos nós vamos ficando mais velhos, mas existe e sempre existirá uma criança em cada um de nós, não importa se ela é vingadora, terrível, séria, brincalhona, enfim, importa é que ela revigora os sonhos que muitos tem escondido, e tem medo ou vergonha de revela-los e pensam que a sociedade, sempre manipulada, não abrirá espaço para mais um louco, o que seria do Mundo sem os Loucos?! O Mundo vende e dá sonhos. Aquele que se torna um homem sem perder essa Criança Interior e adquiri cada vez mais sua Tradição e Ciência, conseguirá melhor administrar sua Vontade Primal e realizar seus objetivos. Viverá com Alegria e Beleza! Se já ouviu falar na frase “Que os rituais sejam executados com Alegria e Beleza...” saberá dar o devido valor e contribuição na idealização discernida de qual é a sua Arte! O que realmente expressa o teu destino é o que te torna mais poderoso sobre o mesmo!

  • Seria possível você listar seus dez escritores favoritos explicando de que forma suas obras exercem influência sobre tua arte?

IV – C.S.: Aprecio bastante as obras de: Nietzsche, A. Crowley, H. P. Blavatsky, Marcelo Motta, Fernando P., M. Mathers, J. Adoum, Lao Tse, Marion Z. B., Regardie, Bram Stoker, e muitos outros. Quanto as suas influências, é relativo a vários fatores, por exemplo... A mente que acorda de um sonho , talvez nunca existido, que ao se deparar com certo símbolo pode sentir certa afinidade, e talvez de alguma forma ele já pertença a essa mente. Seu contato pode despertar tendências que já existam, mas estando adormecidas, o ciclo da temperança integral e chamado às armas não se completam... De algum modo o universo conspira, e move a mente na procura do desvendar ao doce gosto do mistério, ...o fim da paz em absoluto!

  • Hiereus é um projeto idealizado por você diferentemente do trabalho do Poeticus Severus, mais voltado para o Black Metal. Entretanto, o místico e o oculto cavalgam em tua música transformando-a desde já em algo também autêntico e monumental. Esse projeto já possui um CD Demo intitulado “Aldravae Catullus” que servirá de prévia para o Debut CD “...Após o Portal do Oeste”. O que realmente existe por trás da negra arte do Hiereus?

V – C.S.: Hierofantismo em sua forma mais terrível, versado em música impiedosa, musica dedicada aos vencedores dos ordálios... Enfim, “Aldravae Catullus” é totalmente dedicado a Vontade que entra nos Domínios da Escuridão e sai em Vitória. “Terrível e Extremo, do seu Trono ele põe seu terror diante da companhia de Hegemon, guia para o Inferno, faz com que seu prisioneiro alongue seus passos, mas de forma que seu rosto entre como rosto de deus, e que transmita todo seu Intento àquele cujo Trono está dentro da Escuridão, Hiereus. Quod Volis Illud Fact”.

  • A temática expressa em torno da arte do Hiereus está correlacionada a imortal cultura egípcia; sua nefasta incrível mitologia e misticismo, eu penso... Esse conceito se faz realmente a principal essência da banda? De que forma você se sente ligado a ancestral cultura e por que?

VI – C.S.: Que fique claro, a Essência principal da banda é o Desejo e a Vontade de cada Membro da mesma. Minha ligação com a cultura egípcia é da maneira que descrevi anteriormente, ou seja, quando certo símbolo é aproximado a ti, ele pode despertar tendências ou sensações de repulsa ou sintonia, talvez você sinta que faz parte dele ou que ele faz parte de você ou até mesmo que você e ele não tenham nada a ver um com o outro. Daí então acontece comigo e com a cultura egípcia. Independente d`eu ter nascido no Brasil.

  • Satanismo, ocultismo e magia negra são elementos ainda mal interpretados por muitas bandas que visam utilizá-las em músicas, tornou-se algo um tanto banalizado. Tanto o Poeticus Severus quanto o Hiereus buscam em sua arte pelo oculto, pelo misticismo e desconhecido, então gostaria de saber sua opinião acerca deste conceito. A música do Poeticus Severus pode ser chamada de Thelemica? De que forma você interpreta isto em sua arte?

VII – C.S.: Pois bem, me lembro da época do Goat Emperor (1991–1996 e.v.), nós chamávamos nossa arte de “Bestial Music” e classificávamos nossa “finalizada” obra de “Thelemic Band”, naquela época tudo era mais simples, em suma, a partir daqueles momentos e até mesmo antes, quase todos os membros da banda já tinham um ciente contato com Thelema e todos já buscavam conhecimento oculto, misterioso e místico através de muitas coisas. Desde aquele tempo já levávamos tudo isso a sério, o contrário da maioria das bandas, éramos (mesmo com o tempo que já passou) até mais extremos do que as bandas de hoje, praticávamos tudo o que pregávamos sem qualquer exagero, o que vejo nos tempos atuais é um monte de bandas (não todas) falando sobre o Mau Supremo e o Bem Supremo. Não existe verdade nisso, pois o que é bom pra um pode ser ruim pra outro ou vice versa, ou seja, a pessoa pode fazer o bem pra si própria fazendo o mau ou o bem pra outra, como pode também fazer o mau pra si própria fazendo o mau ou bem pra outra, o que existe no fundo disso é simplesmente um Ponto de Vista, se existir um manual que diz que tem que ser assim, é um manual, um livro, um profeta tolo... Continuando ...tais seres povoam a face da terra, acham que quanto mais falarem que são maus ou qualquer outra coisa, vão conseguir mais respeito, mais divulgação, etc. entre a Elite da Arte Suprema. De mim vão conseguir somente risadas, para ganhar respeito é preciso apresentar um bom trabalho e através não só de palavras, mas principalmente de ações, e ser for realmente Mau ou qualquer outra coisa, que seja por Natureza, sem seguir qualquer script, salvo apenas de que seu repertório seja natural, flua naturalmente, aí sim ganharão não só o meu, mas o nosso respeito.. Sendo assim nós do Poeticus Severus nunca banalizamos estes temas que foram de grande participação em nossas vidas, sempre tocamos aos nossos Desejos e Vontades; sem restrição alguma! A nossa Arte é feita principalmente do que vem das nossas essências. Sim, a nossa música também pode ser chamada de Thelemica, pois fazemos a nossa própria Lei sem seguir qualquer conceito estereotipado, podemos até ser satânicos em algumas características, mas não satanistas pois somos a favor da Iconoclastia, para aqueles que não sabem, significa o ato de destruir Imagens religiosas de Idolatria que são na mais pura realidade Vampiros, na maioria Egrégoras, um ótimo exemplo é o Vampiro Egrégora Nazareno e suas vítimas tolas. Portanto, aquele que deixa de ser Escravo da Ignorância passa a ser Escravo da Vontade, porém um Deus nunca passa a ser Escravo da Vontade, pois ele mesmo é a Própria! É assim que interpretamos isso em nossa Arte!!!

  • O avanço da extrema-direita no mundo tem assombrado os eternos defensores dos ideais “democráticos global”, sobretudo na Europa, onde partidos políticos ultra-nacionalistas em países como a França, Itália, Áustria e Bélgica tiveram um crescimento considerável, A análise deste fato é simples se considerarmos o atual contexto mundial; o nacionalismo é impulsionado involuntariamente porque as pessoas hoje sentem-se ameaçadas pelo “estranho”, pelo incerto. A Nova Ordem Mundial é uma ameaça fatal a auto determinação dos povos! Qual a sua opinião acerca deste fato?

VIII – C.S.: Agora passo a vez para o Sub Umbra: Romanticamente falando podemos acreditar que estes movimentos são de certa forma involuntários, porém a xenofobia é parte cultural dos paises não só europeus, mas como de qualquer lugar no mundo. A cultura se torna também um objeto de consumo ávido, exposto para consumo imediato, para ser aproveitado como instrumento de capital, marketing, etc, e acaba ofuscando junto a identidade dos povos. Encaro esta valorização como algo natural, como um movimento de contra-cultura. A degradação é inevitável quando a exclusividade é colocada na prateleira. A utopia de uma sociedade equilibrada, nos moldes de um socialismo perfeito só funciona em teoria. 0 grande problema é a quantidade de seres individuais que aumenta a cada dia. Ao imaginarmos a Índia, ou China, com suas unidades de bilhões de seres, eu acredito que o valor humanitário, o exclusivo, a fonte da beleza se embota. Ou seja, o mau da Humanidade, independente de qualquer ordem ou movimento de época é ocasionada pelo excesso de seres humanos que habitam a face da Terra. Em suma, a literatura antiga, os focos de originalidade antigos aconteciam por que não estavam expostos ao excesso de informações que circula nos meios atuais. Eles tinham muito mais valor individual do que os conceitos desta época, para mim. A genialidade humana pode ser percebida hoje. Ela sempre estará presente em todas as épocas. Mas os conceitos de outrora também foram superados, e o que era exclusivo agora é vulgarizado. Nunca mais vi algo que pudesse ser chamado de arte definitiva (como o legado de Beethoven, por exemplo) hoje em dia.   0 incerto pode ser contraposto corno um movimento de retração a globalização da cultura, da arte, da economia. No Brasil, predominantemente, compartilhamos a falta de educação do nosso povo que é mantido ignorante. Torna-se impossível aderir a qualquer movimento nacionalista, pois o nosso caráter dócil aceita o que a mídia expõe, trespassando o bom gosto, o sentimento nacionalista patriótico. 0 sentimento de amor a pátria está ausente em nosso cotidiano. 0 povo estúpido se enaltece sobre a copa, hegemonia brasileira, mas de nada serve em nossa política. Não define nosso futuro. Se cada brasileiro cobrasse de nossos governantes oportunistas corno cobraram do Felipão, teríamos um verdadeiro exercício da democracia, de cidadania (ter plena noção dos seus direitos e deveres), para poder cobra-los.
A nova ordem assusta muito, mas em lugares onde há ordem. No Brasil que tipo de ordem nós temos? Gostaria de ver nosso capital nacionalizado, estatatizado, não globalizado, colonizado. A receita está errada. E só olhar para a Argentina. 0 FMI comanda nossa economia entreguista e especulativa. Temo que a “Nova Ordem” nos ofereça mais miséria globalizada, incluindo também a miséria cultural. O que é mais globalizado do que a desgraça alheia? 0 retrato da fome é globalizado para o mundo e se toma manchete daqueles que querem vender papel. Mas as causas da mídia não são interessantes. Eu concordo com atitudes da Áustria, de governos de extrema direita. Só não posso dizer, pelo bom senso que me vale, que devemos fazer o mesmo no Brasil. Não temos como o fazer aqui efetivamente. Somente a prazos legados. Nosso povo dócil, nossa cultura provinciana e colonial não nos permite tal coesão e adoção desta linha de raciocínio Felizmente através do metal, grande parte das pessoas de idéias opositórias converge, às vezes, em uma mesma linha de raciocínio questionador, exercitando e mantendo a rebeldia que habita nossas almas.

  • Ainda relacionado a questão anterior... O Metal Extremo segue esta tendência mencionada acima, visto que hoje é possível vermos uma infinidade de bandas (na maioria Black/Pagan Metal) sustentando os ideais S.N em torno de sua arte, buscando através disto em primeiro plano uma espécie de identidade nacional e cultural! Qual a sua opinião a respeito desta junção? Temos de convir que muitas estão se mostrando coerentes unindo às suas músicas traços culturais de seus respectivos países, buscando uma maior valorização para tais através deste conceito político-ideológico! De qualquer forma, qual sua opinião?

IX – S.U.: Eu acho interessante. Porém que tipo de nacional socialismo precisamente você se refere? No Brasil não temos movimentos especificamente de caráter nacionalista, a não ser o fraco integralismo. Porém, pessoalmente não encontrei nenhum movimento que pudesse convergir com minhas idéias, um movimento espiritualizado, não Cristianizado. Quando se fala de movimentos estamos nos referindo indiretamente as massas. Justamente nossa proposta de trabalho é oposta ao que está nas massas, ou seja, espiritualmente nós somos individualistas, no sentido do valor de cada estrela, de cada microcosmo dentro de nós são universos que se chocam, como as estrelas, e reconstroem galáxias inteiras. É desta individualidade que deve ser feita uma massa. Outro ponto interessante que nos situamos, é que em nossa arte nós tratamos de temas transcendentais ao nosso mundo. Não temos espaço para temas mundanos, pois o ser humano, dentro de sua perfeição é imperfeito. Política é interessante para as massas, são movimentos de manipulação. Acreditamos que cada um deva ter amor a sua Pátria (Mátria) e defender e ostenta-la da maneira positiva que tiver ao nosso alcance, como você poderá e pode ver em nossa arte e em nossos shows e em nossa atitude. Agora, falta exatamente o que defender para podermos chamar exatamente de um movimento ou corrente de idéia. Nossa dificuldade é grande, pois somos um povo multirracial. Defender sua cultura e ostentá-la é interessante. Porem aqui falta uma coesão para podermos passar algo mais definido. 0 que temos na sua maioria são atitudes individuais. Não posso chamar este individualismo de nacionalismo. Temos bandas que cantam em Tupi, temos bandas que defendem suas raízes européias, temos bandas que tocam sobre lendas locais. Temos um leque de atitudes individuais, pois não temos conhecimento do que é nossa cultura realmente: um catalizador de diferentes culturas. Acho que isso dificulta copiar (sem semântica negativa) movimentos de bandas da Polônia, Alemanha e Noruega. Quem tem uma tradição Teutônica e unidade cultural e racial isso é mais fácil. Na verdade isto me parece mais um modus operandi copiado do que uma atitude espontânea. Vamos tocar em homenagem a que? Capoeira? Eu detesto essa porra. Mas faz parte da nossa suposta unidade cultural. Francamente eu vejo bandas apoiando-se mutuamente. em regiões diferentes da imensidão do nosso país e acho que a base desta união sim é verdadeira e espontânea. Falar sobre frevo, etc. não acho um caminho viável. 0 metal tem espaço para um protecionismo entre nossas bandas. Nosso cenário, se quiserem na prática aplicar esta política, que comprem cds de bandas nacionais. Boicote ao que vem da Europa, USA, etc. Aquela velha história, nosso cenário antigamente era o mais extremo do mundo. As bandas mais extremas do mundo eram principalmente as brasileiras. 0 Sarcófago é idolatrado. Pois bem, hoje vc paga quase 50 reias numa merda de um cd contrabandeado, preferencialmente lançado ou licenciado aqui para ficar um pouquinho mais barato, ao invés de lançarem bandas boas, investindo no metal nacional. Porra! se quiserem praticar o que pregam que comprem cds nacionais somente. Não que eu ache que devemos deixar de ouvir boa música, mas praticar o que se prega é obrigatório. 0 Poeticus Severus não se posiciona em nenhum movimento político-mundano, pois não há como sustenta-lo e não há o mínimo estimulo para versar sobre tal em nossas obras. Preferimos o que é de nossas 4 essências. Ainda completando, o que falta nessas bandas é metal. Não se faz metal com política. 0 que me transparece é que o metal às vezes fica em último plano. Particularmente prefiro me ater a bandas que priorizam o metal, nazistas ou não, mas antes de tudo ostentação ao metal.

  • A união entre pessoas ligadas ao Metal Extremo, a facções e grupos Skinheads é algo em evidência atualmente, sobretudo na Europa. No Brasil isto ainda é bastante restrito mas tende a crescer... Você apóia ou não este tipo de aliança? Se não, justifique sua resposta.

X – S.U.: Apoio sim. Não posso ser um censor. Liberdade é para aqueles que vivem sob a lâmina do destino e se equilibram com maestria e vivência. Particularmente o que não apoiamos são filosofias crististas, homossexualismo, pensamentos judaicos cristãos. Não nos preocupamos muito com alianças e outros pormenores, pois tal fato não é presente em nosso cotidiano. Antes de mais nada, tornamos a repetir: 0 Poeticus Severus não é uma banda mundana. Nossa arte musicada é de caráter transcendental, principalmente A política, particularmente debatida agora. Escutem nossas obras sem se preocuparem com o dólar, o momento político, os ataques aos palestinos, ao seu dinheiro que vale menos. Nada disso nos inspira. Nosso objetivo é expandir nossos sonhos e nossas vivencias mágico-filosóficas, nossas fantasias, nossa inspiração momentânea ou perene. Agradar a quatro é difícil, se agradamos a mais pessoas ótimo. Senão, paciência. Procurem outra fonte e não nos encham o saco.

  • Estar relacionado com sua cultura e sua nação é algo muito importante, você concorda? A busca de sua ancestralidade cultural, o respeito e a valorização desta é algo que flui naturalmente nos homens no decorrer dos tempos. O orgulho ao povo, o orgulho da Pátria!! Comente sobre isto...

XI – S.U.: Sim. Mesmo criticando nossa unidade cultural, como mencionei acima, preciso falar do lado bom. 0 que é do futuro sem o passado, sem a sua história. Temos belas lendas, temos uma flora de cultura intimamente ligada a nossa beleza geográfica. Cada lugar tem sua estória ligada a um morro, uma caverna, uma cachoeira, por exemplo. Isto é deveras interessante. Ao estudar e ler livros cormo os de Luis da Câmara Cascudo, Gustavo Barroso, vemos a beleza de nossa cultura em alguns mitos reportados por eles. É interessante ver os mitos europeus adaptados por nosso povo. A infelicidade é o caráter cristão da maioria deles. Nossa arqueologia, nosso relevo cristalino antiqüíssimo, que vela civilizações antigas, animais pré-históricos. Nossa história esotérica. Tribos de colonizadores do mundo. Existem correntes, não muito respeitadas, que defendem que o berço da civilização vem de ramificações raciais que começaram deste continente, em direção à Índia, China. Dizem eles que a Atlântida terminava na costa de Natal. Esses fatos são interessantes e ativam a imaginação mesmo que pareçam absurdos. Bom, retornando a música novamente...

  • A atual cena nacional se encontra em uma posição que eu consideraria como estando na vanguarda do “Evil Underground” no Mundo. Quais as bandas de nossa cena tem chamado a sua atenção tanto musicalmente quanto ideologicamente?

XII – Cesar Severus: Cito: Shadow Moon, Mithological Cold Tower, Inferus, Imperial Lucyfer, Hecate. As Vampiric Shades and Belial Winds, Evil War, Blooddawn, Demon Thor, Crux CaeIifera, , Vulcano, Miasthenia, Lacrimatumm, Apokalyptic Raids, As The Shadows Fall. Mausoleu, Defacer, Luxúria de Lilith, Govanon, Kabarah, Abaddon, Intelectual Moment, Headhunter dc, enfim. sião tantas que eu aprecio e por mais que eu tente descrever todas, vou acabar esquecendo alguma, portanto comento só estas.

  • Quais tem sido suas bandas favoritas dentre estilos diversos como Black; Pagan; Death; Gothic; Atmospheric; Folk; Dark Wave; etc...

XIII – Sub Umbra: Isto não é uma lista definitiva! Eu tenho escutado ultimamente: Dio, Metalucifer (!!!), OZ. Crux Caelifera (!!!), Thor, Halford, Diabolic Force, Manowar (Hail to England), Iron Maiden, Doomstone, Motorhead, Kabarah, Warhammer, Abyssic Hate, a triade Hellhammer, Possessed e Bathorv, Arcanum, Therion novo (interessante...), Venom (sempre e muito), Arum, Nargaroth, Burzum (musicalidade e ódio!), Amber Asylum, Arcana, Die Verbaten Kinder Evas, Drawing Mud Land, Grand Belial’s Key novo (!), Tormentor, Abigail (Japão), Witchburner, Evil War, Bach (peças em órgão), Raventhrone (não conhecia esta maravilha!).

  • “Aldravae Catullus” do Hiereus será distribuído pela Vampiria Rec. em parceria com a Mountain Distro., certo? Trabalhos com o Poeticus Severus estão incluídos em futuros lançamentos da Vampiria Rec. e da Mountain Distro.?

XIV – Cesar Severus: Afirmativo, a distribuição do CD Demo do Hiereus está sendo feita pelas duas. Em breve entraremos em estúdio para gravar o nosso Debut CD (que inclusive já está todo composto), logo após isso divulgaremos um promo do mesmo, almejando fazer tal lançamento em alto estilo.            Quanto ao Poeticus Severus o Sub Umbra explicará melhor, fala ai Sub Umbra: Sim. Estamos trabalhando em conjunto para crescermos juntos. A proposta da Vampiria nos interessou por termos total liberdade com nossa concepção artística. A Mountain Distro nos acompanha há anos, desde o nosso começo. O Edson é uma pessoa de extrema competência, profissionalismo e confiança. Deve crescer junto conosco. Consideramos ele como um membro de nossa irmandade. Nossos trabalhos utilizarão esta parceria, portanto aguardem por algo profissional, sóbrio. Acima de tudo em nome do metal.

  • Se você de alguma forma pudesse viajar no tempo, o que realmente gostaria de ver ou fazer?

XV – S.U.: Interessante... gostaria de viajar para o futuro. Para ver qual seria o destino da Terra. Se a vida acabaria por inundação, por outro cometa, por poluição total, por guerra nuclear, em suma, qual seria o fim da humanidade. Se pudesse voltar eu gostaria de ver o dia da minha morte e em seguida o meu nascimento. Quem sabe conhecer Augusto dos Anjos e beber absinto com láudano. Ou talvez confirmar que cristo não existiu. Se existiu gostaria de colocar fogo nos pés dele, após seu corpo ser pregado e beber um bom uísque escocês 21 anos. roubado a 200 anos atrás.

  • Ok Cesar, estou grato a ti por suas palavras. Se há ainda alguma coisa a dizer, este espaço está reservado a você...

XVI – Cesar Severus: Todos aqueles que leram e sentiram alguma afinidade com nossas palavras eu convido a conhecerem um pouco mais da nossa Arte Musicada. E se por vontade pura quiserem, que cantem como nós cantamos na execução de nossos Hinos e vejam o brilho de nosso estandarte no alto dos quais flutua dócil e terrível nossa bandeira branca como o dia, dourada como nossas adagas quando refletem o brilho deslumbrante da luz... E se tu queres fazer algo para melhorar o seu Underground, lembre-se de que mais vale um dia de Leão do que dois mil anos de cordeirinho. Faça agora, pois a sua pior sentença é o seu próprio mal estar.
                O Site do Poeticus Severus está prontíssimo, em breve estará no ar, nele será possível ver Novidades; História; Cartazes; Discografia completa; Entrevistas; Fotos; Artigos; Textos; Merchandise; Links; Download; GuestBook; Nosso Estandarte e mais... Fiquem ligados, pois o endereço em breve estará sendo divulgado! No momento é só. Obrigado pela atenção!
Sub Umbra - Foi um prazer participar desta entrevista. Convido a todos a comparecerem em nossas apresentações, pois elas são feitas de dedicação, artesanalmente elaboradas e intensamente executadas. Aguardem pelo lançamento do nosso debut. Estamos nos dedicando muito em detalhes, arte e execução. Garanto que será algo digno e honesto. Boa Sorte a todos e continuem firmes abraçando seu estilo de vida. - Noctis Sub Umbrae-

Contatos com Iron Avantgard Records/Distro: Cx. Postal 7984, Setor Sudeste, Brasilia/ DF Brasil - CEP: 70673-973 iron_avantgard@yahoo.com.br C/SSerpent ironavantgard88@yahoo.com.br C/ Su35

Amor é a lei, amor sob vontade. Al i 57

Valid XHTML 1.0 Strict © Poeticus Severus - 2004/2012 e.v. por Cesar Severus portifólio