bio bio
disco disco
noticias noticias
entrevistas entrevistas
projetos projetos
poemas poemas
fotos fotos
downloads downloads
brasao brasao
contato contato
Entrevistas
Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei. Al i 40

VOLTAR

Esta entrevista com Cesar Severus foi feita pelo Renato Jóia que é Editor do zine “The Grotesque”, para quem não sabe Renato Jóia é o Gemmifer (Tecladista e Baixo Profundo do POETICUS SEVERUS). A data desta entrevista é 19/01/98 e.v. e nunca foi publicada, pois ele entrou para a banda no mesmo mês em que ela foi feita, e nos seus princípios éticos, publicá-la ia dar uma impressão de que estaria se auto promovendo, pelo fato de que a mesma seria para seu próprio zine e logicamente de sua já atual banda. Mas como este Site tem o objetivo de manter o público da Arte Extrema informado sobre Poeticus Severus, resolvemos publicar esta Entrevista.

  • The Grotesque Zine: O que representou o Goat Emperor para você? Como o término da banda? Você acha que deveria ter ocorrido?

I – Cesar Severus: Representou um estágio que optei em vivenciar com naturalidade e sobriedade, pois minha íntima proposta até o momento sempre foi a de musicar o objeto de minha vontade. O Goat Emperor fez o que tinha de ser feito, abriu os meus caminhos exóticos e se encerrou; portanto, ele repousa em meu coração. “Tudo” tem um propósito e acontece como deve tendo sua hora de intensidade. Sim, deveria ter ocorrido.

  • Antes de terminar a Saga do Goat Emperor você já tinha em mente o Poeticus Severus ou isso só veio a acontecer mais tarde com o passar do tempo?

II – C.S.: Foi mais tarde com o passar do tempo; Após projeta-se a uma escadaria de obstáculos pequenos e grandes se consegue provar a capacidade de cada um na expansão ou diminuição de idéias, e estas virão automaticamente quando se adquirir um certo domínio no estágio (estado) atual, representando um convite a novas, e aí só depende da força influente em cada um, e no investimento em materialização da nova visualização da Vontade.

  • Em sua primeira Demo, nota-se que você compôs e gravou tudo. Você optou por isso ou na época não tinha encontrado músicos para compor o Poeticus Severus?

III – C.S.: O Goat Emperor já havia se encerrado, e por isso eu senti a necessidade de dar continuação a evolução de minha arte, eu estava em um pontífice de minha individualidade, por isso criei o Poeticus Severus sozinho. Gravei sozinho não foi por falta de músicos, pois sou respeitado pelos músicos de forte caráter profissional e particular que me conhecem, sendo assim, creio que um convite feito por mim dificilmente seria recusado. Após a gravação também senti a necessidade de tocar ao vivo, para isso precisaria de músicos, mas acima de tudo, eles precisariam se projetar a identificação harmoniosa para com o trabalho avante.

  • Com a entrada desses músicos você planeja fazer shows com o Poeticus Severus? Já que você compôs e gravou todo material da primeira Demo, cogitou-se que isso não estava em seus planos...

IV - C.S.: Sim, sempre que a proposta de shows estiver em harmonia com o caminho do Poeticus Severus, e a cada instante os planos vão se moldando a medida em que aspiramos algo maior.

  • Um outro ponto que chamou a atenção em seu trabalho são as belas letras que inclusive estão em português e latim (em alguns trechos), como é o processo de composição dessas letras? Você tem alguma inspiração específica para cria-las?

V – C.S.: Eu me inspiro em meus atos intencionais trilhados e a trilhar (minha magick), e assim transformo em simbologia musical, com o propósito de transformar todo um ambiente para um objetivo particular e para quem ele tiver que sugerir (ele atinge quem tem que atingir). Primeiro eu componho a letra e logo após esta sugeri o instrumental e então eu o componho.

  • O Poeticus Severus está preparando um novo trabalho, certo? O que pode dizer-nos sobre este futuro lançamento? Suas características com relação a primeira Demo continuam?

VI – C.S.: Este futuro material a ser lançado já está todo composto, segue a mesma linha do Demo “Discórdia é a Lei dos Fracos... Injurius Veride”, e é mais forte em influencia aquisitiva; para quem gostou deste Demo irá surpreender-se quando ouvir o segundo DT ou CD (está muito mais satisfatório em significados e harmonia).

  • E as letras neste novo trabalho, estão na mesma linha ou elas podem vir diferentes?

VII – C.S.: Elas continuam objetivas e mais avante na linha bárbara, mas o acesso à compreensão delas é mais complexo talvez para alguns. Elas continuam em português e latim, e agora também em hebraico e enochian.

  • Uma outra característica que marcou neste trabalho foi a belíssima capa. Deixe-nos saber mais sobre esta produção... a capa do próximo virá tão bela quanto esta?

VIII – C.S.: Após a gravação o novo obstáculo era de como encontrar alguém para produzir minhas idéias na capa da fita; Então fui até a casa de um grande irmão, Fabio Carrarini (nobre profissional na área de artes gráficas), falei de minhas idéias para ele (que é um apreciador de minha arte musicada), e ele se propôs a interpretar minhas idéias na capa da fita. Ficando aproximadamente para faze-la pra mim. Quando ficou pronta, nós dois ficamos surpresos com a magnífica produção.

  • Diante de todas essas características o Poeticus Severus tem recebido críticas muito boas; e em outros Estados e no Exterior como tem sido sua aceitação?

IX – C.S.: Fico feliz quando alguém elogia meu trabalho e aceita críticas para o meu melhor desempenho. Meu objetivo também é fortalecer a nossa cena. Atenção para quem estiver lendo, pois pode me interpretar indevidamente e se perder na ignorância, meu trabalho (banda) é o que mais gosto no Mundo (para mim não para os outros), cada um tem um gosto musical individual e indiscutível. Certa vez eu escrevi o seguinte: “E assim estou avante com minha grande banda, pois o homem que não sabe o seu valor não vale nada, porque vem alguém além dele, pode ser um profano, mundano ou qualquer outro e o classificar com um sem valor, e este homem não poderá fazer nada, pois não sabe o seu valor, por isto eu me imponho através de meu valor, e estas mudanças somente são validas quando se referem à Seleção”.

  • Da época do Goat Emperor até hoje muita coisa mudou no Underground, muitos subiram, outros desapareceram. Como você vê o underground de hoje? Você acha que melhorou ou isso é tudo uma grande ilusão?

X – C.S.: Tem muitas pessoas indesejáveis tentando se infiltrar no Underground, mesmo assim eu acho que ele melhorou bastante, não é ilusão; mas eu sempre lembro que faze o que tu queres, não é faze o que quiseres, é exercer a vontade individual e indiscutível de cada um.

  • Fico honrado em ter feito esta entrevista, muito obrigado. Se quiser dizer algo não mencionado antes, o espaço é seu...

XI – C.S.: A todos os conhecidos, desconhecidos e conhecedores do Poeticus Severus, eu lhes envio um equivalente cumprimento e votos de sempre consigam o que fazem para merecer através de suas Vontades, e assim como o Universo está repleto de Estrelas, a Terra está repleta de Homens e Mulheres, enfim, toda Natureza é valida nesta compreensão, com uma relatividade dada e recebida com a função de cada um; que vocês criem analisem e executem, buscando sempre mais perfeição na capacidade do que podem fazer, e assim o Mundo de agualhardoa como ramos belos de Sândalo e Acácia, originando do Oriente, Nosso Mundo, o Meu Mundo, cheio de Eremitas; Sacerdotes; Sacerdotisas; Imperadores; Imperatrizes; Hierofantes e Magos.

Amor é a lei, amor sob vontade. Al i 57

Valid XHTML 1.0 Strict © Poeticus Severus - 2004/2012 e.v. por Cesar Severus portifólio