bio bio
disco disco
noticias noticias
entrevistas entrevistas
projetos projetos
poemas poemas
fotos fotos
downloads downloads
brasao brasao
contato contato
Entrevistas
Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei. Al i 40

VOLTAR

Entrevista feita por Débora Harue (Editora do The Mirror Zine) ao Sub Umbra. Julho/99 e.v., The Mirror Zine Nº 9

  • Com o fim da banda Goat Emperor, Cesar Severus iniciou uma nova banda, o Poeticus Severus. E em 06/97 gravou sozinho a primeira demo intitulada “Discórdia é a Lei dos Fracos... Injurius Veride”. Depois disso, Cesar Severus reuniu novos membros para completar a banda. Um deles, Sub Umbra (Baixo e Tenor Lírico), nos cedeu esta entrevista na qual você poderá saber mais a respeito do trabalho deles:   The Mirror Zine: Sabemos que foi Cesar Severus que deu início ao Poeticus Severus e gravou sozinho a primeira demo. Por que só depois disso ele recrutou novos membros à banda?

I – Sub Umbra: A iniciativa de gravar tudo sozinho foi uma opção para encontrar mais facilmente membros que tivessem afinidade e correspondência com a sua criação e que tivessem a mesma sintonia para prolongar, acrescentar e executar o que agora é a nossa arte musicada.

  • Cantar no idioma inglês é o que a maioria das bandas de Metal fazem e o Poeticus Severus preferiu seguir o outro caminho cantando em português, por que?

II - S.U.: Nossas letras são em português, latim clássico e decodificado, enochian em alguns momentos. Nós utilizamos nossa língua pátria porque pensamos em português para compor nossos hinos e poesias. Temos o objetivo de enaltecer nosso maior patrimônio cultural que é a nossa língua nativa. Nós utilizamos o latim como língua erudita e como mantras de imponência, além de outros nomes ancestrais de significado pessoal.

  • Para aqueles que ainda não conhecem a música do Poeticus Severus, defina o que é o “Opereto Barbaricus Metal” que a banda toca?

III – S.U.: O “Opereto Barbaricus Metal” foi um rótulo criado para que possam ter uma maneira mais objetiva de definir a nossa música, sem nos comparar com qualquer outro estilo em que as pessoas já estão acostumadas a comparar, generalizando tudo. Nossa música é espontânea e não seria muito agradável para nós sermos inseridos em um contexto estereotipado. Nas tocamos e sempre tocaremos Heavy Metal, porém, com o nosso toque pessoal. Um pouco de vocais tenores e dramáticos (Opereto), uma melodia marcial e crescente (Barbaricus) e a parte Metal é bem definida por si só. Temos músicas com atmosferas medievais, mas com toques diferentes do usual e outras sonoridades próprias.

  • Como está sendo a divulgação da demo “Discórdia é a Lei dos Fracos... Injurius Veride”?

IV – S.U.: Continua em frente, recebendo generosas críticas e apoio de vários irmãos no Underground.

  • Há previsão para o lançamento de um próximo trabalho? Poderia nos adiantar algo?

V – S.U.: Previsão datada não. Lançaremos em breve duas músicas em uma compilação em CD com bandas de valor daqui da nossa terra. Após deveremos lançar o mais rápido que puder a opus “Morte ao Morto... Tu és o Nosso Grito”. Temos material pronto para mais dois trabalhos. Mantenham contato para saber mais sobre a compilação. 

  • Quais temas as letras do Poeticus Severus abrangem?

VI – S.U.: Nossas letras são poesias, hinos e invocações que servem para representar nossos sonhos e nossa vivência mágico-filosófica. São letras que tem uma interpretação pessoal, para cada individuo que tiver interesse em absorve-las sem bloqueios e padrões de pensamentos, independentes de conceitos venenosos da moral judaico-cristã e de mentes saturadas de toda essa lavagem que nós não acostumamos a conviver.

  • Como você vê a cena Underground carioca? Como ela está?

VII – S.U.: Nossa cena é bem fraca. Não existem bandas de Black e Death Metal em atividade, com material gravado e com lançamentos previstos, a não ser o Songe D’Enfer. Existem nomes promissores que virão, mas atualmente são poucos os shows dignos de apoio por aqui. Paralelo, temos toneladas de bandinhas engraçadinhas e de travecagens melódicas que prefiro ignorar sua existência, pois esta é a minha opinião individual.

  • Obrigada pela entrevista e o final fica por sua mensagem e algo mais que queira acrescentar:

VIII – S.U.: Agradeço a ti, Débora, pelo espaço cedido para representar a minha irmandade nas suas páginas. Espero que neste ano grandes bandas, hordas e irmandades tenham seu espaço e respeito garantido entre nós, por mérito de seu trabalho e pela personalidade musical. Espero que nossa cena seja próspera e que todos se unam para exercer plenamente as nossas vontades. Bandas que quiserem trocar material, escrevam que todas as cartas serão respondidas de acordo com a nossa possibilidade. A todos que cederam sua atenção, espero corresponde-la pela espiritualidade da nossa arte musicada e pelo instinto de criar a nossa realidade pela nossa vontade. Que a espiral mantenha seu eterno giro...

Para contatos com o The Mirror Zine o endereço é: R. Silvestre de Faria Lobo, 48 – São Paulo/SP – BRASIL, C/ Débora Harue ou E-mail para Cristiane Carvalho: mirrorzine@bigfoot.com

Amor é a lei, amor sob vontade. Al i 57

Valid XHTML 1.0 Strict © Poeticus Severus - 2004/2012 e.v. por Cesar Severus portifólio