bio bio
disco disco
noticias noticias
entrevistas entrevistas
projetos projetos
poemas poemas
fotos fotos
downloads downloads
brasao brasao
contato contato
Entrevistas
Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei. Al i 40

VOLTAR

Entrevista feita com Cesar Severus (Guitarrista e Barítono Dramático do POETICUS SEVERUS) no final de 2001 e.v. por War Like (Editora do Warriors of Darkness Zine)

  • Horda oriunda do Rio de Janeiro, iniciando suas atividades após o término da Horda Goat Emperor no ano de 1996. Esta Horda já possui um Demo Tape de 1997, intitulado “Discórdia é a Lei dos Fracos... Injurius Veride”, participando da compilação “Southern Warriors Cult” com as faixas “Empíreo” e “Abismus Di Caelum” no ano de 1999. O fundador e grande irmão Cesar Severus é quem nos conta um pouco da História da Horda Poeticus Severus. Saudações irmão Cesar Severus! Para iniciarmos esta, peço que nos detalhe um pouco sobre o início da saga do Poeticus Severus.

I – Cesar Severus: Saudações a todos os pontos da Unicursal, saúde em essência aos da Arte Extrema! No início de 97 (era vulgaris), eu senti a necessidade de dar continuação a minha Arte Musicada. Compus um Opus dividido em três atos, entrei em estúdio e gravei tudo sozinho (06 de junho e.v.), com coragem e determinação venci minhas limitações, dei a esta gravação o nome de “Discórdia é a Lei dos Fracos... Injurius Veride”, lançando-a logo após na forma de Demo Tape. Com isso comecei a mostrar aos amigos o porque que as Chamas do Inferno nunca se apagam...

  • Como se deu a união dos demais membros? Esta formação é permanente?

II – CS.: No mês seguinte convidei M. Amasarac para assumir a posição de baterista e percussionista (baterista do encerrado Goat Emperor). Em dezembro deste mesmo ano vulgar, conheci um Nobre Artista, que logo assumiu o motto mágico de Sub Umbra, tornando-se não só Baixista, mas também Tenor Lírico do Poeticus Severus. Em fevereiro de 98 e.v. convido Renato Joia (Editor do The Grotesque Zine) para tocar teclado, então o mesmo assume o motto mágico de Gemmifer, começando não só a encarar o teclado como também a função de Baixo Profundo. Com a entrada de novos membros o Poeticus Severus passou a ser uma Irmandade Coesa, podendo assim não ficar somente em estúdio de gravação. Até hoje nunca mudamos de formação, nossa Irmandade é Inquebrantável e muito invejada pelos outros. Ela supera tudo! Estamos muito acima das coisas mundanas. Só nos preocupamos em fazer nossos trabalhos com Total Maestria. O que vejo por aí é muita desunião e muito desentendimento entre várias bandas e pessoas no underground, se elas apenas se preocupassem com seus trabalhos e suas vidas, talvez pudessem até chegar perto de ter uma Irmandade como o Poeticus Severus. Observo que a inveja de certas pessoas é tão grande, que um tempo atrás estava até sendo divulgado um manifesto anti-severus, e a pessoa que estava por trás disso foi tão cômica que nem teve coragem de revelar seu nome, parecia um pastor de alguma igreja evangélica falando mal do Demônio, tipo “ele vai falar filosofando para iludi-los e repor sua máscara de falso adorador”, afirmando até mesmo que eu era algum tipo de adorador, eu sou é a favor de Iconoclastia (destruidor de imagens religiosas ou de ídolos), fiquei só assistindo, a tal carta padrão só dizia asneira e ainda por cima divulgava ainda mais o nome do Poeticus Severus, ah, que perda de tempo! Chegou até a patrocinar uma galera para tirar xerox da tal carta. Na carta dizia até que eu não gostava mais de Black Metal, nós do Poeticus S. morríamos de rir, quando eu lembro começo a rir, sei até quem é essa pessoa, ela morava no RJ, foi morar em MG e está organizando eventos por lá. Até chegaram a mandar uma dessas cartas padrão para os manos do P. S., o Intelectual Moment, atrás da carta tinha um escrito à mão dizendo “Em meus vários contatos soube que o Cesar Severus anda com críticas nada construtivas a Intelectual Moment, estou te alertando sobre isso, avalie mais suas amizades”, vê se pode? ! Só queria é causar Discórdia, mas Discórdia é a Lei dos Fracos... E a Alegria dos Fortes (que logicamente não caem nessa). Não vou revelar o nome da pessoa, pois não vale nem a pena. Digo, tal pessoa é vazia, não adianta! Nos Mistérios da Criação poucos são os Eleitos. Por isso digo que possuímos uma formação mais que permanente, UNA. ! . E a Espiral mantém seu Eterno giro...

  • A Horda já tem registrado a Demo Tape “Discórdia...”, além da participação na compilation “Southern Warriors Cult”. Peço que conceitue estes trabalhos e diga-nos como foi a experiência de trabalhar com a Southern Spirits.

II - CS.: Conceituo da seguinte forma, eles são a Potência da Vontade e a Vontade de mais Potência. Sobre a experiência de trabalharmos com a Southern Spirits, posso te dizer que não foi como imaginávamos que seria, nunca tínhamos trabalhado com selo algum, achávamos que, pelo fato dela ser um selo underground e novo, seria mais fácil nos entendermos, mas foi o contrário devido ao enorme número de desencontros dentre “todos nós”, só o Poeticus S. é quem realmente sabe o que aconteceu. Mesmo com desentendimentos a coletânea saiu, é isso que importa AGORA! Desejo toda Saúde para Southern Spirits, pois é através dela que mais Artistas Virão!  A Horda está com a proposta de lançar um Debut CD intitulado “Excelsus Australis”. A Horda está vinculada a algum selo? O que poderia nos adiantar sobre este futuro lançamento? IV – Não estamos vinculados a selo algum. Excelsus Australis mostra a Horda em sua fase mais Triunfal, Bárbara, Sinfônica e Dramática. A gravação de Excelsus Australis ainda não começou, mas em breve vai começar, encontramos um Estúdio de Gravação que tem o que a gente quer e precisa para executar nossos Hinos e mostrar ao Mundo o motivo pelo qual eu, nós do Poeticus S., consideramos nosso Opus da Arte Suprema!!!  A Horda Poeticus Severus se intitula “Opereto Barbaricus Metal”. Baseado nisto diga-nos quais são suas influências musicais e quais Hordas destacaria? V – A influência do Poeticus Severus parte do fogo queima em seu próprio coração também de tudo aquilo que desperta o mesmo. Gosto muito de “A Flauta Mágica” (Mozart), “Otello” (Giuseppe Verdi), “O Anel de Nibelung” (Richard Wagner), “Aida” (Giuseppe Verdi), “Trovador” (Giuseppe Verdi), “A Valquiria” (Richard Wagner), “La Traviata” (Giuseppe Verdi), “Ravel”, “Carmina Burana” (Carl Orff), “Siegfried” (Richard Wagner), “Minerva”, “O Sangue das Guitarras” (Constantino Gaito), “O Tsar Saltan” (Nikolai Rimsky-Kórsakov), etc; “Diamanda Galas”, “Meredith Monk”, “Stoa”, “Dead Can Dance”, “Raison d’être”, “Lorenna Mckennet”, “Jacula”, “Dunwich”, “Gothica”, “Summoning”, “Ataraxia”, “Haggard”, “Die Verbannten Kinder Evas”, “Venon”, “Empyrium”, “Celtic Frost” (antigo) “Hellhamer”, etc. Destaco as Hordas brasileiras: Oráculo, Mythological Cold Towers, Inferus, Lacrimatum, Apokalyptic Raids, Purification, Intelectual Moment, Evil War, Disabú, Defacer, Imperial Lucyfer, Unholy Flames, Great Vast Forest, Sepulcro, Abaddon, Cheol, Luxúria de Lilith, As Vampiric Shades and Belial Winds, Hecate, Coldblood, Pantáculo Místico, Govanon, Funerum Mortis Sculptum, Shadow Moon, Mircalla, Folklord, Crux Caelifera, As the Shadows Fall, Morbidoom, Kabarah.

  • Observando vossas letras podemos perceber uma grande influência mística nas mesmas. Fale-nos a respeito das bases místico-literárias que desenvolve vosso trabalho juntamente com a Horda.

VI – CS.: Nossas letras falam sobre a Arte e a Ciência Hermética... Nós procuramos dar ênfase ao Dramatismo Operístico com Símbolos Bárbaros. As notas e as letras quando combinadas em total sintonia tomam conta do lugar, impregna certa energia no ambiente, despertando sensações. A música é para sentir, viajar por terras, mundos longínquos, ser feliz em essência, estar livre de todas as restrições, se unir a Grande Mãe, é deixar-se abraçar por Nuit. Em nosso trabalho somos Ra-Hoor-Khuit, e o sucesso é nossa prova, a Grande Obra!

  • A Horda tem se apresentado regularmente? Você sente uma boa receptividade do público underground, citando reais trabalhos com os quais trabalham lado a lado?

VII – CS.: Warlike, você já teve a oportunidade de presenciar duas de nossas apresentações, tenho certeza de que por toda sua vida tu nunca mais vai esquecer e contará aos seus filhos se os tiver, mas de repente tu até irás se lembrar só porque eu falei agora. Um dos grandes intuitos do Poeticus Severus é conquistar um espaço na lembrança de cada ente da Arte Extrema. Não nos apresentamos com freqüência, até hoje só fizemos quatro apresentações, a primeira foi em Belo Horizonte /MG (07/08/99 e.v.), tocaram conosco nesse dia Unholy Flames, Defacer e Imperial Lucyfer, um Grandioso Cerimonial; A segunda foi no Rio de Janeiro /RJ (30/10/99 e.v.), também tocaram Unholy Flames e Perpetual Tears; A terceira em Fortaleza /CE (15/01/00 e.v.), tocaram conosco Govanon e Hecate, total maldade! E a quarta em Juiz de Fora /MG (07/07/01 e.v.), também tocaram Sepulcro, kabarah, Apokalyptic Raids e Defacer. Nesta última apresentação aconteceu um imprevisto, minha guitarra toda hora ficava sem som, o bejamim (“tomada”) do local estava com mau contato, minha pedaleira deu defeito, ficou toda hora desligando, mas não interferiu com o nosso intento, pois magickamente, atingimos um estado mental infinitamente sublime, fizemos com que as coisas materiais não incomodasse-nos, e fosse êxtase em tudo, nunca parávamos, continuávamos sempre tocando, cantando nossos Hinos, tudo que fizemos e fizéssemos estava e seria sempre certo, e a aquisição de nossas vontades (Dom Primal) tudo podiam, e o Universo contínuo se tornou a Unidade, naquele momento Tudo era Um, sendo Um, não existia separatismo, foi o momento em que as forças se sintonizaram, a trocas de sutilidades se dissolveram em Arte Extrema. Muitos desses entes que faziam e fazem nosso público fizeram parte dessa sintonia, isso é a grande receptividade que sentimos, a troca e a comunhão das forças profundas que cada um possa sentir e expandir de dentro de si.

  • O que o real público pode aguardar futuramente do Poeticus Severus?

VIII – CS.: Sábado, 17/11/01 e.v. o Poeticus Severus tocará em Governador Valadares /MG no “Evil Storm’s III”, também tocará Astrum Aurora, Agaures e Scarps, para os interessados em comparecer, o local é: Av. Moacir Paleta, 1167 (Riviera Bar), Bairro São Pedro. Ônibus São Cristóvão /SIR – linha 08. Ingressos a R$ 5,00 (preço único), começará às 21h. Para maiores informações: (33) 9973-4291 ou (33) 3225-4776 – após as 20h. Haverá sorteio de blusas. A Mountain Distro estará presente nesse evento (Para adquirir nosso material fonográfico assim como: DT, CDs, etc. Solicite catálogo escrevendo para: Edson Teixeira – Cx. Postal 79.924, Nilópolis /RJ – CEP: 26.510-971).  Grande irmão Cesar Severus, agradeço-o pela atenção e apoio prestado ao nosso trabalho com o “Warriors Of Darkness Horde Zine”. Desejamos Total Poder a Horda, e, deixe-nos sua mensagem final. IX – Em meio ao clangor nos inspira o vinho nas taças de metal temperado três vezes, pois os fulgores das batalhas nos refletem a sede de conquistar em prol de nossas Vontades. Sim, são sagrados os nossos corações, pois lutamos como Irmãos; Esse é o fito das nossas vontades, pois lutamos com Liberdade. POETICUS SEVERUS. Nós é que agradecemos pelo precioso espaço cedido no apoio a Horda. A todos que leram com atenção estas linhas, segue o meu convite para que cantem como nós cantamos quando executamos nossos Hinos, e sintam a Chama Maia da Vontade. Saúde para todos da Arte Extrema!

Para maiores informações sobre o "Warriors of Darkness zine" entre em contato com Warlike atravé do seguinte endereço: R. Pará de Minas 1557, São Benedito, Santa Luzia / MG - BRASIL - CEP: 33.120-530 dewarlike@yahoo.com.br

Amor é a lei, amor sob vontade. Al i 57

Valid XHTML 1.0 Strict © Poeticus Severus - 2004/2012 e.v. por Cesar Severus portifólio