bio bio
disco disco
noticias noticias
entrevistas entrevistas
projetos projetos
poemas poemas
fotos fotos
downloads downloads
brasao brasao
contato contato
Poemas
Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei. Al i 40

DEJA VU

O Cavaleiro Solitário vivia em uma caverna na floresta, antes de dormir sempre ia até a margem de um lago para matar sua sede, acabava sempre por perceber a imagem de seu rosto refletindo na água. Certo dia, sonhando ele fez uma viagem simbólica... Lá estava ele a caminho do lago como sempre fazia, esse costume lhe parecia ser remoto, olhou para a superfície da água e lá estava sua própria imagem, atraído por algo de sinistro ele permaneceu observando atentamente, um encanto veio ao seu encontro, sua imagem refletida assumiu vida própria e falou-lhe: “_Eu sou a água que o senhor meu irmão bebeu.” Apavorado ele saiu correndo para a caverna, chegando lá, sua sombra também assumiu vida própria e falou-lhe: “_Eu sou a sombra da sua Luz diáfana.” Dali ele também fugiu desesperadamente, foi para um lugar descampado na floresta, o Sol brilhava intensamente no céu, que logo assumiu a forma de seu rosto-coração e lhe falou: “_Eu sou a Luz de sua natureza, mas para você eu sou proibido.” Logo após ouvir isso o Cavaleiro Solitário acordou, novamente ele ficou apavorado, não mais enxergava, porém tinha a certeza de estar acordado. Depois de algum tempo ele se perguntou: “_Por que?” O vazio respondeu-lhe apenas com o negro infinito dos seus olhos, agora ele já experimentava sua nova vida triste, ainda mais solitária, às vezes ele ainda consegue ver a imagem distorcida de seu rosto solar, aquele mesmo rosto refletido nas águas nebulosas de seu sonho distante, porém, não mais sabe se o que aconteceu foi realidade ou parte de um sonho imaginário.

Por: Cesar Severus

Amor é a lei, amor sob vontade. Al i 57

Valid XHTML 1.0 Strict © Poeticus Severus - 2004/2012 e.v. por Cesar Severus portifólio